COLUNA GEPOL

0
254

PERIGO

Quem desce o Viaduto da Avenida Padre Antônio Cesarino e faz o contorno para entrar na Rua Bento de Barros (então, chegar nos altos da Vila Xavier), está correndo risco de colidir com veículo que vem da referida rua. O local está esburacado, conforme se vê na foto. Para desviar deles, carros tomam a esquerda da rua, onde existe o perigo. Isso em pleno centro da cidade. O DAAE fez esse buraco há umas três semanas, estimando um mês para repará-lo. Todavia, poderia mostrar uma maior atenção e tampá-lo o quanto antes.

LIXÕES

Araraquara possui bolsões apropriados para diferentes descartes. Mas o que está ocorrendo é que a população descarta seus lixos em praças públicas, lugares inadequados. Aumenta-se risco de proliferação de insetos peçonhentos, contaminação do solo e poluição, apenas para mencionar alguns exemplos. O que conduz a esse tipo de comportamento? Vez ou outra, passa um caminhão e recolhe os principais descartes, mas não há uma limpeza apropriada do local. Exemplo precisa vir de cima: mais campanhas de esclarecimento? Fiscalização com multas?

VALETAS

A Prefeitura da cidade de Rio Claro fez um trabalho de redução da profundidade das valetas existentes em suas vias, que resultou uma maior fluidez ao trânsito. Em comparação, Araraquara possui valetas tão profundas, que, se não engatarmos uma primeira, os amortecedores dos veículos não aguentam. Toda vez que se faz um conserto ou passa nova massa asfáltica, a profundidade vai aumentando. Seria ótimo se a Prefeitura de Araraquara inspirasse-se no exemplo de Rio Claro.

PANDEMIA

O Governador João Doria, em entrevista coletiva, deu a entender que, possivelmente, no final deste mês ou início de dezembro, vai haver a flexibilização ao uso de máscara. A pandemia não acabou. Os países da Europa, inclusive e especialmente, Rússia, além dos Estados Unidos, registram muitos casos da doença, que seria a onda dos “não vacinados”. Mas, diz um velho ditado: “canja e caldo de galinha, não faz mal para ninguém”. Não seria muito cedo promover essa flexibilização? Afinal, a OMS alertou há pouco tempo sobre o risco que o mundo ainda corre com o COVID-19. Ou, então, o Brasil estaria seguro porque já determinou a dose de reforço a toda população acima de 18 anos, antecipando medida de países estrangeiros diante de aumento da infecção? Na verdade, as próximas semanas já serão decisivas, demonstrando se existe espaço para flexibilização total. A conferir. Que todos tenham muita cautela.

CARNAVAL EM ARARAQUARA

Perguntamos a Assessoria de Imprensa da Prefeitura: O Prefeito, pretende liberar o Carnaval em Araraquara?

Resposta: A realização do Carnaval de 2022 ainda está sendo construído pelo município em um processo de muito diálogo com a Liga das Escolas de Samba de Araraquara e as diretorias das 4 escolas formalmente constituídas.
Levando em consideração as limitações impostas pelos quase 2 anos de pandemia do Covid-19, cujos efeitos atingiram também as agremiações que tiveram de paralisar suas atividades, assim como o momento de retomada responsável das atividades presenciais, o carnaval de Araraquara deverá ter um formato diferenciado e rigorosamente adaptado às restrições sanitárias.
Em princípio, está sendo debatida a realização de apresentações em formato reduzido das escolas de samba no pavilhão do CEAR, local capaz de acomodar com segurança e controle o público presente. A ideia é também levar algumas apresentações pontuais das escolas para os bairros que integram os territórios mais vulneráveis do município, mais excluídos do lazer privado, sempre de maneira controlada e devidamente orientada pelas autoridades sanitárias municipais.
Todo o processo ainda está em fase de construção e será amplamente divulgado quando a programação estiver finalizada.

 

Deixe uma resposta