Cidade abre os olhos ao tracoma

Após a DIR-7 ter confirmado 36 casos de tracoma em alunos das creches “Joana Maria Braga Guedes” e “Maria Custódio Rosim”, a Secretaria Municipal de Boa Esperança do Sul deverá iniciar exames em crianças com idade acima de seis anos para tranqüilizar pais e tratar possíveis casos.

O secretário de Saúde, Alvaro Baracat, afirma que todas as medidas estão sendo tomadas para evitar novos casos. “Entre as medidas adotadas, trocamos as toalhas de pano por descartáveis e examinamos os familiares das 36 crianças. Todos os casos confirmados já estão sendo tratados com pomadas de antibiótico”, comenta.

Quanto a possibilidade de perda parcial da visão em decorrência de tracoma, Baracat explica que são raros os casos que evoluem para cegueira. “Não há porque ter tanta preocupação com essa possibilidade. Esses casos geralmente são poucos e a longo prazo. O que vale ser dito é que, certamente, em algumas semanas, outras cidades irão registrar casos de tracoma. Isso porque muitas pessoas não estavam atentas à doença, mas passaram a ficar após o registro de casos em Boa Esperança do Sul”, esclarece.

Alerta

O tracoma é uma doença contagiosa cujos primeiros sintomas são coceira, secreção e vermelhidão nos olhos.

De acordo com o oftalmologista Ruy Midoricava, não se trata do conhecido dordólio. “Os quadros costumam apresentar melhora ou cura também com o uso por 10 dias de colírio (tetraciclina, rifocina, azitromicina)”, destaca.

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

5 dicas de tratamento durante o estágio inicial das varizes

Termina nesta quarta (19) as inscrições para o “Seminário de Enfrentamento ao Racismo Religioso e LGBTfobia nos Espaços de Matriz Africana” 

Comad realiza II Semana Municipal de Políticas sobre Drogas nos dias 24, 26 e 27 de junho

Araraquarense se voluntaria em Canoas, RS

Dia do Orgulho Autista: Grupo promove pesquisas e informação sobre Autismo

CATEGORIAS