Campanha de vacinação contra a febre aftosa vai até dia 30

0
231
Nesta etapa, devem ser vacinados bovinos e bubalinos com faixa etária até 24 meses
 
A Prefeitura de Araraquara, por meio da Executiva de Agricultura, vinculada à Secretaria Municipal do Trabalho, Desenvolvimento Econômico e Turismo, informa que a campanha de vacinação contra a febre aftosa no Estado de São Paulo em 2023, que teve início no dia 1º de novembro, será concluída no dia 30.

Nesta etapa, devem ser vacinados bovinos e bubalinos com faixa etária até 24 meses, o que corresponde a aproximadamente cinco milhões de animais. A vacinação de outros animais é proibida e o produtor tem até o dia 7 de dezembro para declarar a vacinação.

A febre aftosa é uma enfermidade causada por vírus (família Picornaviridae, gênero Aphthovirus). É uma das doenças infecciosas mais contagiosas dos animais e acomete animais biungulados (de casco fendido) como bovinos, bubalinos, caprinos, ovinos e suínos.

A coordenadora executiva de Agricultura, Letícia Valério da Silva Bueno, destacou que a vacinação contra a febre aftosa é mais do que uma medida preventiva de saúde pública. “Trata-se de um ato de humanidade para com os animais que sustentam grande parte de nossa economia agrícola. Quando um animal é acometido pela febre aftosa, ele é submetido a um sofrimento imenso. A doença provoca febre alta e o aparecimento de vesículas dolorosas na boca, nos cascos e nas tetas. Essas lesões não apenas causam dor aguda e incapacidade de se alimentar adequadamente, mas também podem levar à claudicação e a sérias complicações sanitárias. Além disso, o estresse emocional que a doença causa nos animais é um aspecto muitas vezes esquecido, mas não menos importante. Portanto, a vacinação é essencial para evitar a dor e o trauma desnecessários, garantindo o bem-estar animal e a continuidade de uma produção pecuária saudável e próspera”, comentou.

Esta doença pode acometer rapidamente criações inteiras. O vírus se dissipa pelo contato entre animais doentes e susceptíveis e pode contaminar o solo, água, vestimentas, veículos, aparelhos e instalações. O vento pode transportar o vírus. A doença atravessa fronteiras internacionais por meio do transporte de animais infectados e da importação de produtos de origem animal (principalmente carne com osso).

A vacinação contra a febre aftosa tem grande importância social e econômica, já que o impacto da doença prejudica produtores, empresários e famílias rurais. Os impactos decorrentes de focos de febre aftosa envolvem prejuízos diretos e indiretos, e podem compreender desde a redução nos preços até a suspensão das exportações para alguns países, causando prejuízos econômicos a todos os segmentos da cadeia produtiva, além de custos adicionais públicos e privados para adoção de medidas para conter o foco e retomar o status sanitário.

A declaração da vacinação deve ser realizada, de preferência, por meio eletrônico, através do sistema informatizado de Gestão de Defesa Animal e Vegetal (GEDAVE). Quando não for possível, o produtor poderá acessar a declaração na internet (https://www.defesa.agricultura.sp.gov.br/www/programas/getdocdoc.php?idform=397) preencher e encaminhá-la por e-mail ou entregá-la pessoalmente na Unidade de Defesa Agropecuária mais próxima.

No caso de dúvidas, entre em contato com o Escritório de Defesa Agropecuária de Araraquara, que fica na Rua Treze de Maio, 1352, Vila Xavier, Araraquara. Os telefones de contato são (16) 3333-1073, (16) 3333-1074 e (16) 98202-0009, e o e-mail é [email protected].

 
SECRETARIA MUNICIPAL DE COMUNICAÇÃO
PREFEITURA DE ARARAQUARA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.