Câmara debate sobre empreendedorismo feminino, plano de negócios e saúde financeira  

0
253

Iniciativa da Escola do Legislativo (EL) integrou o 1º encontro do Fórum Municipal de Mulheres Empreendedoras e na Ciência

Com o objetivo de promover o debate e o reconhecimento das mulheres no campo do empreendedorismo e da ciência, a Escola do Legislativo (EL) da Câmara Municipal de Araraquara realizou, na noite de quarta-feira (27), a palestra “Construindo um empreendimento sólido: plano de negócios e saúde financeira”, com apresentações da especialista em Gerência de Marketing, Visual Merchandising e Empreendedorismo Juliana Frasson e da educadora financeira e economista Vanessa Guzzi. A palestra na íntegra está disponível no YouTube da TV Câmara.

“A mulher que empreende se liberta financeiramente e, assim, consegue, muitas vezes, sair de situações tóxicas. É sempre relevante reforçar os direitos da mulher e também utilizar esse espaço da Câmara, que é de debate e democracia, para trazer para a população conhecimento, educação e cidadania. Para quem ainda não conhece os fóruns da Escola do Legislativo, eles têm como meta estimular o debate educativo acerca de temáticas que são importantes e necessitam de constantes atualizações”, enfatizou a presidenta da EL, a vereadora Luna Meyer (MDB).

Criatividade e inovação

Ao abordar o tema de como começar efetivamente um negócio, Juliana fez o seguinte questionamento aos participantes: “você se considera empreendedor (a)?”. “A resposta para essa pergunta diz respeito à maneira de como a pessoa pensa e age com criatividade e inovação diante de oportunidades, para gerar valor individual e coletivo”.

A palestrante mencionou a frase do empresário Henri Ford para falar sobre o propósito do empreendimento e como prosperar no negócio. “As empresas precisam ter o lucro como objetivo; do contrário, elas morrem. Mas se uma empresa é orientada apenas para ter lucro também morrerá, porque não terá mais nenhum motivo para existir”.

De acordo com a especialista, o desafio de apresentar um plano de negócios começa pela tentativa de traçar as ideias com desenhos, também conhecido como “teste do guardanapo”. “É como explicar seu plano de negócio numa mesa de bar, usando um guardanapo, porque o cérebro da maioria das pessoas processa melhor visualizando algo”.

“A partir da ideia do teste do guardanapo, em um segundo momento é necessário pensar no modelo de negócios Canvas, que permite visualizar a ideia do negócio, contemplando no centro a proposta de valor. O que eu quero oferecer, qual tipo de serviço ou produto, e qual será meu diferencial? Não vou vender apenas rosquinhas, por exemplo, vou vender um paladar aguçado fabricando rosquinhas saborosas”, explicou.

Para a construção de um empreendimento sólido, há que se pensar de maneira assertiva na clientela, envolvendo aspectos de quem é esse cliente, como é a relação com ele e quais os canais são utilizados para que conheça o negócio/produto, de acordo com Juliana. “A viabilização de um empreendimento envolve ainda a atividade-chave, parcerias e recursos-chaves, que são ferramentas para decolar o negócio, além, é claro da fonte de receita”, acrescentou.

Saúde financeira

Para a educadora financeira e economista Vanessa Guzzi, o sucesso da gestão financeira passa pela ideia básica de distinguir o que é pessoa física da jurídica, fator primordial para o negócio prosperar. Ela citou dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) os quais apontam que 80% das micro e pequenas empresas não chegam a completar o primeiro ano, e 60% fecham antes dos cinco devido a má gestão financeira do negócio.

“Apesar de a maioria de micro e pequenos empreendedores ser a própria empresa, no sentido de desempenhar várias funções no seu negócio, você não é a sua empresa. Ao misturar a ideia de pessoa jurídica e física, também prevalece o senso comum de achar que faturamento e lucro são a mesma coisa. É preciso distinguir. Uma pessoa jurídica tem custo, faturamento e lucro”, esclareceu Vanessa.

Ainda segundo a economista, o faturamento da empresa deve constar no demonstrativo de resultado, onde são realizadas deduções de despesas fixas, variáveis, investimentos, impostos, ou seja, existem custos, para se chegar ao lucro.

“A dica é separar as finanças pessoais do faturamento da empresa. Quando eu enxergo que o faturamento da minha empresa é igual ao lucro, a pessoa física acredita que o lucro é o salário dela. E não é. Daí se compromete a saúde financeira do negócio”, comentou Vanessa.

Fórum municipal

Essa foi a segunda palestra integrante do 1º encontro do Fórum Municipal de Mulheres Empreendedoras e na Ciência. Na segunda-feira, ocorreu a palestra “Conexões que vendem: como construir relacionamentos autênticos e aumentar suas vendas”, está disponível no YouTube da TV Câmara.

O fórum municipal foi criado pela Resolução nº 527/2023, após proposta apresentada pela presidenta da Escola do Legislativo, vereadora Luna Meyer (MDB), pelas vereadoras Fabi Virgílio (PT) e Filipa Brunelli (PT) e pelo vereador Alcindo Sabino (PT).

A programação do 1º encontro do Fórum Municipal de Mulheres Empreendedoras e na Ciência se encerra com a exposição “Mulheres inspiradoras, trajetórias de sucesso”, que estará disponível para visitação entre os dias 1º e 15 de abril, das 9 às 18 horas, no saguão da Câmara Municipal.

A palestra contou com certificado de participação e foi transmitida ao vivo pela TV Câmara. O evento continua disponível para ser assistido, na íntegra, pelo YouTube.

(Setor de Imprensa – Câmara Municipal de Araraquara)

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.