Alunos, professores e coordenadores desenvolvem projetos a partir de visita à exposição na Biblioteca Municipal

0
103
Educação Integral Eugenio Trovatti - Prof Bruck Oliver

 “Gabinete Modernista” registra mais de 400 pessoas na programação educativa

A exposição “Gabinete Modernista: a passagem de Mário de Andrade por Araraquara” será encerrada esta semana, depois de um mês de exposição na Biblioteca Municipal Mário de Andrade. As visitas educativas guiadas vêm sendo destaque na programação, com turmas escolares participando da exposição que evidencia a presença de Mário de Andrade na história cultural de Araraquara.

O coordenador de Acervos e Patrimônio Histórico, Weber Fonseca lembra que até a última sexta-feira (18), aproximadamente 400 pessoas (entre estudantes, professores e coordenadores), de 20 escolas, passaram pelo Gabinete Modernista, onde são apresentadas as relações estreitas de Mário com Pio Lourenço Corrêa.

Visitas – Diversos professores aproveitaram o conteúdo da exposição para desdobrar atividades com seus alunos, a fim de motivar a pesquisa e assimilação das informações.

O professor coordenador da Educação Integral da EMEF Prof. Henrique Scabello, Josmar Brandão Coutinho, esteve na visita guiada e considerou que a exposição apresenta vários elementos para refletir a Semana de Arte Moderna de 1922 sobre diferentes prismas e seu desdobramento no campo artístico cultural e político social.

“A ideia de criar uma contra narrativa para pensarmos esse importante movimento para além das fronteiras do eixo Rio São Paulo, além de ousada, abre caminhos para enxergarmos diversas peculiaridades da sociedade brasileira que permitem dar voz e visibilidade a grupos sociais historicamente marginalizados e discriminados”, apontou.

“Além disso, o material apresentado na exposição representa uma rica fonte de pesquisa e estudo que pode ser utilizado pelas escolas para o desenvolvimento de atividades que passam por diferentes temáticas, dentre elas a construção da identidade, diferenças regionais, manifestações de resistência e relações interpessoais”, disse o coordenador, lembrando que o contato dos estudantes com a proposta apresentada na exposição pode contribuir imensamente para o seu processo formativo.

O professor de Artes do Colégio Objetivo, Pedro Marçal, levou três turmas para a atividade na biblioteca. “A visita faz parte do conteúdo de arte que está sendo trabalhado com os 6º e 7º anos do Objetivo. Como esse ano comemoramos o centenário da Semana de Arte Moderna de 1922 e a Biblioteca Municipal Mário de Andrade organizou a exposição referente a esse marco, achei, em conjunto com a coordenação e direção da escola, que seria uma visita muito produtiva e significativa, como está de fato sendo mesmo!”, comentou.

De acordo com Pedro, os alunos estão realizando uma atividade refletindo sobre a Semana de 22 e a exposição visitada. “Os próprios alunos estão organizando uma Semana de Arte Contemporânea de 2022, contrastando com o que está sendo estudado”, observou o professor.

Para a professora coordenadora da Escola Municipal de Dança Iracema Nogueira, Lucia Krepski, a visita monitorada veio confirmar o tema que a escola está construindo para desenvolver junto aos alunos ao longo deste ano e ampliou a percepção na relação entre Araraquara – Mário de Andrade – Modernismo.

“O movimento Modernista que se iniciou há 100 anos com a Semana de 1922, ainda reverbera na atualidade, nas nossas identidades, nos fez pensar o quanto do Modernismo ‘carregamos’ em nós, na nossa história. Por isso vamos trabalhar, inclusive subvertendo o tempo cronos: vamos olhar com nossos alunos para o chão que pisamos hoje, rever e ressignificar o passado e retornar ao presente para, aí sim, criar.”

Projetos – A visita dos professores e coordenadores da EMEF e Educação Integral do Campo “Eugênio Trovatti”, no distrito de Bueno de Andrada, resultou em trabalhos diversificados sobre o conteúdo assimilado: “Bueno de Andrada e suas revelações: casas e cartas contam histórias”, com a professora Camila Dall’Acqua Trovatti Casuscelli e alunos com idade de 11 a 14 anos; “Escrita e troca de cartas”, com professor Bruck Oliver e alunos de 8 a 10 anos; e “O Grupo dos Cinco”, com a professora Vanessa Rodrigues Gomes e alunos de 8 a 10 anos.

A professora Camila conta que, após visitação à exposição, “descobrimos por meio de visita monitorada por Weber, que além de cartas e documentos algumas estruturas de casas e utensílios se tornam patrimônio histórico”. Ela considerou um fato curioso: o relato referente à estrutura da porta com vitrais no quarto que Mário de Andrada utilizava para escrever, quando se hospedava na casa de seu tio Pio.

“Por sorte existe uma casa em Bueno de Andrada que conservou parte dessa estrutura histórica, como os vitrais, que quisemos compartilhar com os estudantes através de uma visita ao local.” Surge então a atividade: “Bueno de Andrada e suas revelações: casas e cartas contam histórias”.

“Encontramos também vários utensílios antigos, e uma carta datada de 1945, que nos conta a história de amor de um casal da cidade.  A história da carta foi tão marcante que aguçou os alunos a registrarem esse momento através de uma carta, pois perceberam que o registro escrito pode se tornar uma memória cultural”, explica Camila.

Para avaliar o que os estudantes entendiam ser a escrita de uma carta, a professora fez um amigo secreto de cartas positivas. Cada estudante escreveu uma carta com frases positivas para o colega que pegou no amigo secreto. “A atividade atenta para a questão que objetos afetivos podem constituir-se em um patrimônio histórico, as cartas tornam-se objetos de grande importância para a preservação de uma memória cultural”, aponta Camila.

O professor Bruck Oliver, por meio do projeto “Escrita e troca de cartas”, buscou levar compreensão aos alunos sobre a Semana de 22, vivenciando a escrita e a troca de cartas para serem entregues aos alunos de outra escola de assentamento. A ideia foi vivenciar a comunicação e troca de informações por meio de cartas, como realizavam Mário de Andrade e Pio Lourenço, conforme visto na visita ao Gabinete Modernista.

Ainda, em “O Grupo dos Cinco”, a professora Vanessa trabalhou releituras e sua importância, efetuando uma representação da foto do “Grupo dos Cinco”, além de explicar o que foi a Semana de Arte Moderna de 1922 e seus principais personagens, principalmente Mário de Andrade e a sua relação com Araraquara.

Lembrando que o Grupo dos Cinco foi o conjunto de artistas que liderou a Semana de Arte Moderna no Brasil, formado pelas pintoras Anita Malfatti e Tarsila do Amaral, e pelos escritores Menotti Del Picchia, Oswald de Andrade e Mário de Andrade. Vale destacar que, por estar no mês de março, Vanessa destacou o trabalho e as obras de Tarsila do Amaral “por simbolizar uma mulher empoderada”. Assim, pensando em tornar todas as informações significativas, a professora realizou com as crianças uma representação viva do “Grupo dos Cinco”, além de releituras de obras de Tarsila do Amaral.

Com entrada gratuita, a exposição “Gabinete Modernista: a passagem de Mário de Andrade por Araraquara” permanece até o final desta semana, sexta-feira (25), na Biblioteca Municipal Mário de Andrade. A visitação pode ser realizada no horário das 9 às 12h30 e das 13h30 às 19 horas.

SECRETARIA MUNICIPAL DE COMUNICAÇÃO
PREFEITURA DE ARARAQUARA

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.