Alteração do hábito intestinal é um dos principais sinais de alerta do câncer colorretal

0
46

A alteração do hábito intestinal, ou seja, apresentar prisão de ventre e diarreia alternados, é um importante sinal de alerta do câncer colorretal. Outros sintomas comuns são sangue nas fezes, dor ou desconforto abdominal e perda de peso sem causa aparente. Doença pode ser evitada com exame de colonoscopia a partir dos 50 anos ou a partir dos 40 anos, caso haja histórico de câncer na família.

O câncer colorretal (intestino grosso e reto) é o segundo tumor maligno, excluindo o câncer de pele não melanoma, mais comum em homens e mulheres, atrás apenas, respectivamente, de câncer de próstata e mama. São 41 mil novos casos previstos para 2022, segundo o Instituto Nacional de Câncer (INCA).

O risco de desenvolver a doença aumenta com a idade. Esta semana, o ex-jogador de futebol e ídolo do Vasco da Gama, Roberto Dinamite, anunciou publicamente que “nos exames realizados, descobrimos alguns tumores”, não especificando em quais órgãos e quantos. Na véspera do Natal, afirma o maior goleador da história vascaína, precisou realizar uma cirurgia de emergência em virtude da obstrução de uma parte do intestino.

Alteração do hábito intestinal (diarreia e prisão de ventre alternados), assim como alteração na forma das fezes (fezes muito finas e compridas), são sintomas de alerta, que devem ser investigados. Os demais sintomas mais comuns são sangue nas fezes, dor ou desconforto abdominal, fraqueza e anemia e perda de peso sem causa aparente.

Sobre a SBCO – Fundada em 31 de maio de 1988, a Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica (SBCO) é uma entidade sem fins lucrativos, com personalidade jurídica própria, que agrega cirurgiões oncológicos e outros profissionais envolvidos no cuidado multidisciplinar ao paciente com câncer. Sua missão é também promover educação médica continuada, com intercâmbio de conhecimentos, que promovam a prevenção, detecção precoce e o melhor tratamento possível aos pacientes, fortalecendo e representando a cirurgia oncológica brasileira. É presidida pelo cirurgião oncológico Héber Salvador (2021-2023). (SENSU Consultoria de Comunicação – Moura Leite Netto – [email protected])

Deixe uma resposta