Adeus biodiversidade no Pantanal

José Pedro Naisser (*)

Como se não bastassem os terríveis incêndios de 2022, agora o Bioma do Pantanal perde mais de 670.000 ha, para o fogo, onde os pesquisadores e investigadores concluíram que 95% são de ordem criminosa, lamentavelmente nenhum dos governos dos dois Mato Grossos agiu na hora certa, demoraram 60 dias para decretarem estado de emergência, depois que tudo foi queimado, agora o Governo Federal libera R$ 100 milhões para pagarem brigadistas e aviões teco-teco para jogarem baldes de água no fogo que não apagam nunca. O Valor estimado da biodiversidade é mais de R$ 1 bilhão por tudo que foi perdido, queimado, cujo solo levará mais de 10 anos para sua regeneração.

Lamentavelmente o Governo Federal pecou também a ministra omissa, Marina Chamas Silva, desceu em Corumbá com 40 homens da Força Nacional, para visitarem a terra arrasada.

Nos Países que enfrentam os incêndios, lá eles se utilizam de aviões jumbos adaptados com tanques que levam 20 a 30 mil litros de água a cada viagem, lamentavelmente por aqui temos que ficar com os que carregam bolsas para buscarem água no Rio Paraguai, que será a próxima vítima da estiagem hídrica.
Esse é o retrato do descaso com o Bioma do Pantanal que já foi cartão postal para visitantes de todo mundo, hoje arde em chamas.

Isso é o Brasil o resto é o resto.

(*) É Ecologista

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Inverno florido

Home care, os planos de saúde e os direitos do paciente

A polarização política e o atentado a Trump

Dúvidas sobre a simplificação do sistema tributário

Serviço de oncologia da Santa Casa recebe carta de ex-paciente

CATEGORIAS