A importância da atividade física na melhor idade

0
103

A atividade física na melhor idade é um elemento crucial para a manutenção da saúde e da qualidade de vida. A partir dos 40 anos, o corpo começa a perder massa muscular de forma gradual, um processo conhecido como sarcopenia. Esta perda de massa muscular afeta significativamente a capacidade funcional dos indivíduos, impactando sua autonomia e independência.

Estudos indicam que a taxa de perda muscular pode acelerar com o avanço da idade. De acordo com um artigo publicado no “Journal of Cachexia, Sarcopenia and Muscle” em 2015, indivíduos acima dos 40 anos podem perder em média de 3% a 8% de massa muscular por década. A consequência dessa perda não é apenas uma diminuição da força, mas também um impacto negativo em sistemas vitais do corpo.

A redução da massa muscular está associada a efeitos adversos no sistema circulatório, elevando o risco de doenças cardiovasculares. Além disso, o enfraquecimento muscular pode levar a um aumento da pressão arterial e a um maior risco de diabetes tipo 2. Dores articulares e maior suscetibilidade a quedas e fraturas também são complicações comuns associadas à perda de massa muscular na melhor idade. Afirma Giulliano Esperança.

No entanto, a atividade física regular pode mitigar esses efeitos. Exercícios de resistência, em particular, são essenciais para a manutenção e até mesmo para o aumento da massa muscular em pessoas mais velhas. Tais exercícios não apenas fortalecem os músculos, mas também melhoram a circulação sanguínea, reduzem a pressão arterial e ajudam a controlar os níveis de glicose no sangue.

Mais do que a manutenção da saúde física, a atividade física na melhor idade é fundamental para a qualidade de vida. Ela permite que as pessoas continuem realizando suas atividades diárias, mantendo sua independência e autonomia. Além disso, o movimento regular contribui para a saúde mental, reduzindo o risco de depressão e melhorando a autoestima afirma Giulliano Esperança.

A prática de movimentos conscientes e intencionais vai além do exercício físico; ela se conecta com a realização de sonhos e com a vida junto às pessoas amadas. Giulliano Esperança alerta que atenção plena no movimento e a harmonia entre corpo e mente são essenciais para uma vida plena e satisfatória, especialmente na melhor idade.

Assim, a importância da atividade física vai além da simples manutenção da massa muscular. Ela é uma parte integrante de um estilo de vida que valoriza cada movimento, cada respiração e cada momento vivido, permitindo às pessoas não apenas viver mais, mas viver melhor.

Claro, vamos complementar o texto anterior, focando na autonomia física, dignidade, direitos de viver plenamente e nos aspectos emocionais, como depressão e melhoria cognitiva:

A autonomia física na melhor idade é um pilar crucial para a manutenção da dignidade e da qualidade de vida. A capacidade de realizar atividades do dia a dia sem dependência externa não é apenas uma questão de funcionalidade, mas um direito intrínseco a viver com plenitude e autoestima. Através da atividade física regular, os idosos podem manter e, em alguns casos, recuperar a autonomia, o que impacta diretamente no seu senso de realização e independência.

Além do aspecto físico, o impacto emocional e cognitivo da atividade física na melhor idade é profundo. Frequentemente, essa fase da vida pode ser marcada por sentimentos de solidão e isolamento, que podem desencadear ou agravar quadros de depressão. A prática regular de exercícios físicos demonstrou ser uma ferramenta eficaz na mitigação desses sintomas. Estudos indicam que a atividade física regular não apenas melhora o humor, mas também contribui significativamente para a saúde mental, promovendo a liberação de endorfinas, conhecidas como hormônios da felicidade.

Além disso, a atividade física tem um impacto positivo na função cognitiva. A prática de exercícios, especialmente aqueles que estimulam a coordenação e o equilíbrio, pode melhorar a concentração, a memória e outras funções cognitivas. Segundo pesquisa publicada no “British Journal of Sports Medicine”, a atividade física regular está associada a um menor risco de declínio cognitivo em idosos. Isso sugere que a integração do movimento na rotina diária não é apenas benéfica para o corpo, mas também é vital para manter a mente ágil e saudável.

A conexão entre o movimento e a saúde emocional na melhor idade é indissociável. Ao incentivar a prática regular de atividades físicas, estamos promovendo não apenas a longevidade, mas também a vivência de uma vida emocionalmente rica e cognitivamente ativa. Essa abordagem holística do bem-estar enfatiza que cada passo, cada movimento, cada esforço físico é um investimento na própria essência do ser humano. Ao cultivar a saúde física, estamos simultaneamente nutrindo a saúde mental e emocional.

A atividade física, portanto, transcende a mera manutenção do corpo. Ela se torna um ato de afirmação da vida, de respeito à própria história e de celebração das capacidades pessoais. Ao envelhecer, cada indivíduo tem o direito de experimentar não apenas anos adicionais à vida, mas mais vida aos seus anos, repletos de autonomia, dignidade e alegria.

Em suma, promover a atividade física na melhor idade é promover um envelhecimento ativo e saudável, onde a dignidade, a autonomia e a plenitude emocional são vistas não como luxos, mas como elementos fundamentais de uma vida bem vivida. É um convite para que cada pessoa, independentemente da idade, continue a escrever sua própria história com vigor, alegria e plena consciência de seu valor inestimável.

Continuando o texto, vamos destacar a importância específica do exercício do agachamento, inclusive na sua forma adaptada de sentar e levantar de uma cadeira, em relação à longevidade e autonomia:

Uma das atividades físicas mais fundamentais e benéficas para a melhor idade é o agachamento, incluindo a sua variante mais acessível: o exercício de sentar e levantar de uma cadeira. Este movimento simples, mas poderoso, tem uma correlação direta com a autonomia e a longevidade.

Cientificamente, o agachamento é reconhecido por fortalecer múltiplos grupos musculares, especialmente aqueles envolvidos na locomoção e no equilíbrio. De acordo com um estudo publicado no “European Journal of Preventive Cardiology” em 2014, a capacidade de sentar e levantar-se do chão sem assistência foi associada a uma menor taxa de mortalidade em adultos mais velhos. Este ato, que pode parecer trivial, é na verdade um indicador robusto da força e saúde muscular, além de flexibilidade.

A realização regular do exercício de sentar e levantar, ou agachamentos completos quando possível, contribui significativamente para a manutenção da independência funcional. Tais movimentos não apenas aumentam a força muscular, mas também melhoram a coordenação, o equilíbrio e a mobilidade geral. Isso é crucial, pois a capacidade de se mover com confiança e sem ajuda é um componente essencial da autonomia na vida diária.

Além disso, a prática desses exercícios tem impacto na prevenção de quedas, uma das principais causas de lesões graves em idosos. Ao fortalecer os músculos das pernas e melhorar o equilíbrio, o risco de quedas é significativamente reduzido, promovendo uma maior segurança e confiança na realização das atividades cotidianas.

Incorporar o agachamento ou o movimento de sentar e levantar em uma rotina regular de exercícios não é apenas uma estratégia para a preservação da saúde física. É também um investimento na longevidade e na capacidade de viver de forma independente e com dignidade. Esses movimentos são simbólicos da autonomia pessoal, representando o poder e a importância de ações cotidianas na manutenção da qualidade de vida.

Portanto, encorajar e praticar esses exercícios simples, mas eficazes, é fundamental para qualquer programa de atividade física voltado para a melhor idade. Eles representam muito mais do que um mero componente de um treino; são uma celebração da força, da resistência e da capacidade de cada indivíduo de enfrentar os desafios do envelhecimento com confiança e independência.

Em resumo, o agachamento, em suas diversas formas, é uma ferramenta poderosa na jornada rumo a um envelhecimento ativo e saudável. Ao integrá-lo na rotina diária, abrimos as portas para uma vida mais longa, mais autônoma e mais plena, reafirmando o compromisso com a saúde e a dignidade em todas as fases da vida.

Finalizo com um lema que tem guiado minha jornada tanto pessoal quanto profissional: “O mesmo coração que ama, é o coração que treina”. Este mantra reflete a essência do meu trabalho, especialmente no projeto de pesquisa em câncer de mama, onde a interseção entre atividade física e cuidado emocional se torna profundamente evidente.

No coração do nosso projeto da medicina, somado a nutrição e educação física, a atividade física transcende sua função habitual de melhorar a saúde física; ela se torna um veículo de amor, cuidado e apoio emocional para mulheres que enfrentam o desafio do câncer de mama. Aqui, o exercício é mais do que uma mera prática; é uma expressão de empatia, uma forma de ouvir e responder às necessidades não apenas do corpo, mas também da alma.

Este aspecto da minha pesquisa em medicina realça a importância da conexão humana e do apoio emocional no processo de cura. O lema “O mesmo coração que treina, é o que ama” é um lembrete constante de que nosso compromisso com a saúde deve ser tão compassivo quanto científico. Ele ressoa com a ideia de que, através do exercício, não apenas fortalecemos os músculos, mas também tecemos laços de compreensão, carinho e solidariedade.

Assim, ao abordarmos a atividade física na melhor idade, ou em qualquer fase da vida, é essencial reconhecer que cada movimento é uma oportunidade para nutrir não só o corpo, mas também o coração. Em minha pesquisa e prática, esforço-me para que cada ação reflita este lema, unindo a ciência do movimento com a arte de amar e cuidar finaliza Giulliano Esperança.

GIULLIANO ESPERANÇA

Educador Físico CREF 6646-G/SP UNESP/Rio Claro

Mestrando em Tocoginecologia na UNESP/Botucatu.

@giullianoesperanca

(Rta Comunicação)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.