A Cultura em Diálogo

Profª Teresinha Bellote Chaman

Bom dia. Gostaria de agradecer todas as manifestações que recebi durante a semana. Foi gratificante, obrigado a todos, em especial ao Carlos, que me surpreendeu três vezes.

"As pessoas te pesam?

Não as carregue nos ombros. Leva-as no coração.

Não é fácil, mas possível. É uma ginástica constante".

Veja como estão seus conhecimentos em Língua Portuguesa. São inúmeros os e-mails com dúvidas e sugestões. Obrigada.

01 – Alho-poró ou alho-porró?

a ( ) O alho-poró dissolve cálculos renais?

b ( ) O alho-porró dissolve cálculos renais?

02 – Pequenas fatias de filé, geralmente de vitela, preparadas como bife são:

a ( ) escalopes

b ( ) escalopis

03 – Qual a forma adequada: ao par ou a par?

a ( ) Estou ao par das novidades da SIOL.

b ( ) Estou a par das novidades da SIOL.

04 – Como se diz: para traz ou para trás?

a ( ) No deserto, nunca olhe para traz.

b ( ) No deserto, nunca olhe para trás.

05 – Quando você quer conquistar algo, você:

a ( ) revindica

b ( ) reivindica

c ( ) reinvindica

"Escutar sempre, pensar sempre, aprender sempre, eis o que é viver".

Não sei se por descaso, se por desconhecimento… as pessoas pouco se manifestam quando se fala da inculta e bela.

Aos que se manifestaram, parabéns pela iniciativa. Vamos refletir juntos. Abramos uma gramática, aquela que dita as normas para o Vestibular, para os concursos públicos, etc.

O que é a vírgula?

A vírgula é o sinal de pontuação que indica pequena pausa na leitura, o que equivale a uma pequena ou grande mudança na entonação.

Vejamos como se lê um período em que não há vírgula nenhuma.

A vida no campo é sem dúvida nenhuma bem mais saudável que a vida na cidade.

Esse período, como aí está, não indica que deva haver mudança alguma na entoação, que é absolutamente linear.

Vejamos como se lê o mesmo período, agora com vírgulas:

A vida no campo é, sem dúvida nenhuma, bem mais saudável que a vida na cidade.

A entoação de leitura, agora, já não é linear. Observe a significativa mudança de entoação ocorrida depois de lido o verbo é, conferindo ao termo entre vírgulas certa importância na linha melódica frasal.

Obs.: Na dúvida, recomenda o bom-senso não usar a virgula, pois a omissão caracteriza pecado menor do que uma inserção indevida. Ademais, a falta da vírgula onde ela é necessária pode ser tomada por esquecimento; sua inserção indevida é tida por algo menos lisonjeiro.

In Nossa Gramática Sacconi, Luís Antônio

Parece-nos que para maior clareza da mensagem, a pontuação é importante.

O adequado é dizer:

É expressamente proibido o comércio ambulante, sem alvará, neste município.

OU

Neste município, é expressamente proibido o comércio ambulante, sem alvará.

OU

É expressamente proibido o comércio ambulante, neste município, sem alvará.

E você, caro leitor, o que acha?

Quando você encontrar uma placa pública com inadequações, mande e-mail. Vamos fotografá-la e faremos os devidos comentários.

Você estará prestando um serviço à cultura de nossa cidade.

A comunicação bem sucedida entre duas pessoas sejam elas íntimas ou desconhecidas entre si, quer numa relação face a face, quer numa relação a distância é uma permuta de sentidos negociados graças a uma atitude cooperativa de ambas as partes.

O que se entende por sentido, na variedade de usos desse termo, encerra como denominador comum a idéia de orientação. O sentido de qualquer coisa gesto, sinal de trânsito, logotipo, palavra é o "proveito" que ele nos propicia em sua condição de guia em algum "território" geográfico, social, cultural, textual. Chamamos sentidos ao conjunto das faculdades naturais que nos situam no mundo das sensações: paladar, olfato, visão, audição e tato. Uma seta na via pública indica o sentido que devemos seguir. Daquilo que nos parece caótico ou absurdo dizemos que "não tem" ou "não faz sentido". Também "sem sentido" é como qualificamos a vida a que faltam sonhos, esperança… perspectiva, enfim. O sentido é, portanto, o que nos orienta em nossa relação com o mundo e com os seres e objetos que o povoam.

Os sinais sonoros ou gráficos com que se materializam nossos discursos veiculam sentidos que elaboramos durante o processo de falar-escrever e ouvir-ler.

Como tudo mais que constitui nossa herança cultural e plasma nossa identidade histórica e social, esses sinais manifestação da língua que falamos/escrevemos são uma propriedade coletiva extraordinariamente maleável e adaptável às circunstâncias comunicativas, aos interesses dos indivíduos e aos caprichos do tempo e da história. Conhecê-los para fins interativos é um requisito da vida em sociedade, mas descobrir e explicar como são e a que leis estão sujeitos em seu funcionamento é tarefa adicional, nem sempre de efeitos práticos evidentes, mas pertinente à aventura histórica do homem em busca do autoconhecimento.

In Fundamentos de Gramática do Português Azeredo, José Carlos

É MUITO SÉRIO ESTE ASSUNTO.

Que tal consultarmos a gramática ao colocarmos as placas… Elas nos orientam ou desorientam… vale refletir, caro leitor!

"Não te acuses pelo fato de ter feito o mal, mas antes, de não ter feito o bem".

Dizem que:

"A grandeza de uma profissão é, talvez, antes de tudo, unir homens. Só há um luxo verdadeiro: o das relações humanas".

Você, que nunca se comunicou, faça-o agora celp@terra.com.br

Até a próxima semana.

Compartilhe :

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

A força e união do agro

Os riscos e a falta de regulamentação do uso de dados genéticos de pacientes por operadoras de saúde

Por que temos de sofrer as consequências do pecado de Adão e Eva?

Governar com economia e sem aumentar impostos

Cidade: berço de soluções

CATEGORIAS