Menino araraquarense busca doador de medula

0
184

Raul, de seis anos, foi diagnosticado com leucemia e precisa de transplante

Acostumado a uma vida de muitas brincadeiras e diversão em sua casa no Yolanda Ópice, em Araraquara, o garoto Raul Daris Gabriel do Amaral, de seis anos de idade, viu sua rotina mudar em abril, quando foi diagnosticado com leucemia linfóide aguda (LLA), uma doença de alto risco que atinge o sangue e a medula óssea, afetando os glóbulos brancos. No mesmo dia do diagnóstico, ele iniciou um tratamento de quimioterapia em um hospital de Ribeirão Preto, porém agora a família busca um doador de medula óssea compatível para que possa ser realizado o transplante que resultará na cura do menino.
A mãe de Raul, Mariana, também teve sua rotina afetada, já que parou de trabalhar para cuidar integralmente do garoto, que passa seus dias realizando exames e consultas, com idas frequentes ao hospital.
As estatísticas apontam que existe um doador compatível para cada 100 mil doadores, o que torna a missão da família ainda mais complicada. Por isso, quanto mais pessoas se cadastrarem, maiores são as chances de encontrar o doador. A mãe criou um perfil no Facebook e no Instagram, ambos com o nome de ‘Todos pelo Raul’, onde é possível ver mais detalhes do caso, com vídeos e fotos do cotidiano da criança e também com esclarecimentos sobre o procedimento de doação de medula.

PRIMEIRA VITÓRIA

Mariana conta que o Hemonúcleo de Araraquara não vinha realizando o cadastro de doação de medula óssea por conta da pandemia, o que fazia com que os hemonúcleos mais próximos para realizar o procedimento fossem em Jaú e Ribeirão Preto. Porém, por conta do quadro de Raul, o local voltará a realizar o cadastro, o que foi considerado uma grande vitória pela família.
Por conta de algumas questões administrativas no Hemonúcleo de Araraquara, a situação deve ser normalizada até a próxima semana, quando os interessados poderão procurar o local e se cadastrarem como doadores. Pessoas de outras cidades também podem se cadastrar nos hemonúcleos mais próximos de suas residências.

CONTATOS
Mais informações podem ser obtidas com os familiares pelo número (16) 99700-7070. Já o telefone do Hemonúcleo de Araraquara é o (16) 3301-6102.

COMO SER UM DOADOR

– Procure o hemocentro mais próximo e agende uma consulta de esclarecimento sobre doação de medula óssea.
– O voluntário à doação irá assinar um termo de consentimento livre e esclarecido (TCLE), e preencher uma ficha com informações pessoais. Será retirada uma pequena quantidade de sangue (10ml) do candidato a doador. É necessário apresentar o documento de identidade.
– O seu sangue será analisado por exame de histocompatibilidade (HLA), um teste de laboratório para identificar suas características genéticas que vão ser cruzadas com os dados de pacientes que necessitam de transplantes para determinar a compatibilidade.
– Os seus dados pessoais e o tipo de HLA serão incluídos no Registro Nacional de Doadores Voluntários de Medula Óssea (REDOME).
– Quando houver um paciente com possível compatibilidade, você será consultado para decidir quanto à doação. Por este motivo, é necessário manter os dados sempre atualizados.
– Para seguir com o processo de doação serão necessários outros exames para confirmar a compatibilidade e uma avaliação clínica de saúde.
– Somente após todas estas etapas concluídas o doador poderá ser considerado apto e realizar a doação.

Deixe uma resposta