JORNAL DE ARARAQUARA
  • Fundado em 1991
  • Diretor: Geraldo Polezze
  • Vice-diretora: Marilene Volpatti
  • E-mail: redacao@jornaldeararaquara.com.br
ENTRE EM CONTATO

Teste o seu Português (622)

Prof.ª Dr.ª Terezinha de Jesus Bellote Chaman (*)

Apologia ao empoderamento de uma mulher: quando fé e razão se cruzam.

"A mulher não é, como no passado distante e mesmo no recente, figura marginal do acontecimento político, econômico e cultural. Lista para firmar o seu espaço na sociedade, em igualdade de condições com os homens, tendo como projeto a conquista da plena cidadania e reconhecimento de sua importância indelével na construção da civilização brasileira". Bauer (2001, p. 138).

Buscando fixar os olhos no futuro, para fazer a história e não ser levada a reboque... por ela; entendendo que a única luta que se perde é aquela da qual se desiste...; assumindo o momento presente e permanecendo com o olhar do coração fixo "nas coisas do alto", Marli do Carmo Bellote procurou orientar sua história rumo à realização de sua Família.

A corrente agostiniana já intuíra a profunda inquietude do coração humano. Inquietude essa que só plenifica o ser homem na doação ao outro; na vivência em sociedade com os outros. Assim, não são as pessoas que nascem da sociedade, mas é a sociedade que nasce das pessoas.

Precisamo-nos: ao nascer; no decorrer da vida buscamos o outro, seja formando uma família, seja consagrando-nos a uma vida celibatária; no final da estrada, na velhice, certamente os filhos serão portos seguros, até que mãos piedosas nos estendam no túmulo, num derradeiro ato que implicará, mais uma vez, a necessidade da convivência, da comunhão, da sociedade.

Isto dito, fica-nos clara a necessidade que o homem tem de encontrar-se na humanidade. Taparelli, filósofo e sociólogo, reiterando o referido, assim se manifesta: "[...] a sociedade nasce da unidade de fins, derivada da unidade de conhecimento, que produz união de vontades... Tirai um destes elementos e a sociedade desaparece." (apud FORESI, 1977 p. 81).

Diante dos desafios da sociedade de hoje, marcada pelo pluralismo e pelo relativismo, a mulher/mãe, como ser de comunhão, deve estar preparada a construir comunidades, uma das quais é a Família.

Mas... existe sempre um momento, um tempo, para tudo embaixo do sol. Sim, existe! Protagonistas somos, ao longo de nossas vidas, de fatos gritantemente paradoxais: ora se nasce... ora se morre; ora planta-se... ora arranca-se o que se plantou; ora fere-se... ora cura-se; ora demole-se... ora constrói-se; ora chora-se... ora ri-se; ora toma-se leito... ora dança-se; ora lançam-se pedras... ora amontoam-se as pedras; ora têm-se cuidados... ora deixa-se perder; ora guarda-se... ora atira-se fora; ora rasga-se... ora cose-se; ora cala-se... ora fala-se; ora ama-se... ora desama-se; ora se faz a guerra... ora se faz a paz; ora se dá abraços... ora se faz a separação!

Sim, reiteramos, quando fé e razão se cruzam... e se harmonizam... criam raízes e permitem voos... muitos voos... frutos... muitos frutos... advindos de um grão-de-trigo maturíssimo: Marli do Carmo Bellote.

Teste o seu Português

01 Naquela ____________ não vinga nada!

a ( ) quissassa;

b ( ) quissaça;

c ( ) quiçassa;

d ( ) quiçaça.

02 Era um ___________ muito ____________.

a( ) rapasola quichotesco;

b ( ) rapazola quixotesco;

c ( ) rapazoula quixiotesco.

03 Deixe de ser __________! Sua vida é ótima!

a ( ) quexoso;

b ( ) quechoso;

c ( ) queixoso;

d ( ) queichoso;

e ( ) queixozo.

04 Eu vou ___________ minha roupa na mala e sumir no mundo.

a ( ) introuchar;

b ( ) entrouchar;

c ( ) introuxar;

d ( ) entrouxar.

05 Qual frase abaixo está correta?

a Aquele automóvel custou uma micharia.

b Aquele automóvel custou uma mixaria.

06 Era um _________. Não tinha boca para nada.

a ( ) pascássio;

b ( ) pascáçio;

c ( ) pascácio;

d ( ) pascásio.

07 E eu que achava que você era um __________. Estava enganado.

a ( ) troxa;

b ( ) trouxa;

c ( ) troucha;

d ( ) trocha.

08 Todas as frutas possuem ______________?

a ( ) carosso;

b ( ) caroso;

c ( ) carossu;

d ( ) caroçu;

e ( ) caroço.

09 O que quer dizer: quiescência? Os insetos entraram em quiescência.

a ( ) agitação;

b ( ) repouso;

c ( ) trabalho;

d ( ) transformação.

10 ________ é um fruto característico do Natal.

a ( ) havelãn;

b ( ) avelan;

c ( ) avelã;

d ( ) avelam.

(*) Pesquisadora do GEPEFA Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Famílias.

Respostas:

Resp 1.: d Naquela quiçaça não vinga nada!

Quiçaça (= terra árida, chão ruim).

Resp 2.: b Era um rapazola muito quixotesco.

Rapazola (= rapaz muito jovem).

Quixotesco (= ingênuo, sonhador).

Resp 3.: c Deixe de ser queixoso! Sua vida é ótima!

Queixoso (= que reclama, que se queixa).

Resp 4.: d Eu vou entrouxar minha roupa na mala e sumir no mundo.

Entrouxar (= empacotar).

Resp 5.: a b As duas frases estão corretas.

a Aquele automóvel custou uma micharia.

b Aquele automóvel custou uma mixaria.

Micharia / mixaria (= pequena quantidade de dinheiro). Cf. Borba 2002 Dic. UNESP do Port. Contemp.

Resp 6.: c Era um pascácio. Não tinha boca para nada.

Pascácio (= indivíduo muito simplório, tolo, bobo).

Resp 7.: b E eu que achava que você era um trouxa. Estava enganado.

Trouxa (= tolo, bobo, palerma).

Resp 8.: e Todas as frutas possuem caroço?

Caroço (= semente de vários frutos, com formato e tamanho variados).

Resp 9.: b Quiescência quer dizer repouso.

Os insetos entraram em quiescência.

Resp 10.: c Avelã é um fruto característico do Natal.

Avelã (= fruto pequeno, arredondado, de casca dura, marrom clara, contendo um caroço comestível).

Avelã = palavra feminina.

OBS.: Colunista semanal dos jornais Diário do Grande ABC (SP)~e Jornal de Araraquara (SP), Jornal Independente Dois Córregos (SP), Tribuna do Norte Natal (RN), Jornal de Nova Odessa (SP), Diário da Franca Franca (SP) e Diário de Sorocaba Sorocaba (SP) Jornal de Itatiba Itatiba (SP) O Liberal Regional Araçatuba (SP) Diário da Serra Tangara da Serra (MT) Gazeta Penhense Penha/SP.