JORNAL DE ARARAQUARA
  • Fundado em 1991
  • Diretor: Geraldo Polezze
  • Vice-diretora: Marilene Volpatti
  • E-mail: redacao@jornaldeararaquara.com.br
ENTRE EM CONTATO

Teste o seu Português (535)

Prof.ª Dr.ª Terezinha Bellote Chaman (*)

Dando voz ao poeta português Régio: "Ondas do mar que desabais (Ah, o mar...!) Levai-me! Estou fartinho de lutar, não posso mais." (Lisboa, 1969).

... 30 de dezembro/2018. Dia em que começamos a preparar as festas de final de ano. Muitas famílias se reúnem... o que é normal. Mas, naquela noite, algo diferente iria acontecer. Lá pelas tantas, vem a notícia... a dura notícia: prof. Jorge está na UTI do HS São Paulo. Apreensão... No dia seguinte, por volta de 10h, defronte à farmácia, encontramos Maria Eugênia, filha. Com muita tristeza, diz-nos que o quadro era extremamente delicado, que não havia muito mais o que fazer. Mas ele era forte... de tal forma forte, que acreditávamos, mesmo com sequelas, sairia dessa. Já havia passado por tantos dissabores! Foi vencido... no dia seguinte, curiosamente, por volta das 10h nos encontramos novamente com Maria Eugênia, que nos deu a notícia: ele partiu. Ficamos tristes. Muito tristes em saber que o amado Mestre havia nos deixado. Triste também por saber que se separava de sua Terezinha, esposa que tanto amava e de quem cuidava. Guardo em minha mente a imagem daquele professor altivo, sábio, carinhoso e de boas palavras. Guardo também as imagens dos últimos tempos em que nos encontrávamos, praticamente todos os dias: ou indo ou voltando da padaria, da quitanda, da farmácia ou, simplesmente, caminhando. Afinal, éramos vizinhos. Guardo, ainda, quando os obervava, na varanda, defronte à janela do meu apartamento.

Se pudesse definir Prof. Cury, assim o faria:

Quando fé e razão se cruzam...

[...] a estrada é esta: não perder a paixão pela verdade última, nem o anseio de pesquisa, unidos à audácia de descobrir novos percursos. É a fé que incita a razão a sair de qualquer isolamento e a abraçar de bom grado qualquer risco por tudo o que é belo, bom e verdadeiro. Deste modo, a fé torna-se advogada convicta e convincente da razão. (CARTA..., 2012).

A corrente agostiniana já intuíra a profunda inquietude do coração humano. Inquietude essa que só plenifica o ser homem na doação ao outro; na vivência em sociedade com os outros. Assim, não são as pessoas que nascem da sociedade, mas é a sociedade que nasce das pessoas.

Precisamo-nos: ao nascer; no decorrer da vida buscamos o outro, seja formando uma família, seja consagrando-nos a uma vida celibatária; no final da estrada, na velhice, certamente os filhos serão portos seguros, até que mãos piedosas nos estendam no túmulo, num derradeiro ato que implicará, mais uma vez, a necessidade da convivência, da comunhão, da sociedade.

Foresi (1977, p. 26) pontua-nos: "É, portanto, intrínseca à concepção cristã do homem, uma filosofia da história, ou melhor, uma teologia da história, ainda antes da existência de qualquer historicismo idealista ou materialismo histórico."

Isto dito, fica-nos clara a necessidade que o homem tem de encontrar-se na humanidade. Taparelli, filósofo e sociólogo, reiterando o referido, assim se manifesta: "[...] a sociedade nasce da unidade de fins, derivada da unidade de conhecimento, que produz união de vontades... Tirai um destes elementos e a sociedade desaparece." (apud FORESI, 1977 p. 81).

Por derradeiro, adentremos à reflexão de um fragmento de Fides et Ratio:

É ilusório pensar que, tendo pela frente uma razão débil, a fé goze de maior incidência; pelo contrário, cai no grave perigo de ser reduzida a um mito ou superstição. Da mesma maneira, uma razão que não tenha pela frente uma fé adulta não é estimulada a fixar o olhar sobre a novidade e a radicalidade do ser... Ao desassombro (parresia) da fé deve corresponder a audácia da razão. (CARTA..., 2012).

Teste seu Português:

01 Eu vou ___________ minha roupa e sumir no mundo.

a ( ) introuchar;

b ( ) entrouchar;

c ( ) introuxar;

d ( ) entrouxar.

02 Que pena! Aquele pobre menino é ______________.

a ( ) lombriguentu;

b ( ) lumbriguento;

c ( ) lombriguento;

d ( ) lombriguentu.

03 Qual frase abaixo está correta?

a Aquele automóvel custou uma micharia.

b Aquele automóvel custou uma mixaria.

04 Era um _________. Não tinha boca para nada.

a ( ) pascássio;

b ( ) paiscássio;

c ( ) pascácio;

d ( ) pascásio.

05 Você é _________? Acha que vou fazer o que me pede?

a ( ) troxa;

b ( ) trouxa;

c ( ) troucha;

d ( ) trocha.

06 Um ____________ assolou várias cidades do Japão.

a ( ) tssunami;

b ( ) tissunami;

c ( ) tisunami;

d ( ) tsunami.

07 A moqueca capixaba leva __________.

a ( ) urucum;

b ( ) urucu;

c ( ) hurucum;

d ( ) hurucu.

8 - Eu comi um delicioso cuscuz. Se tivesse comido dois, como diríamos?

a ( ) dois cuscuz;

b ( ) dois cuscuzes;

c ( ) dois cuscuizes.

09 A simpática senhora entra no açougue e pede um quilo de:

a ( ) cocha-de-frango;

b ( ) coxa-de-frango;

c ( ) cocha de frango;

d ( ) coxa de frango.

10 Aquele cidadão acaba de sofrer um _____________.

Qual a forma aceita pela ortografia atual?

a ( ) enfarte;

b ( ) enfarto;

c ( ) infarto.

(*) Pesquisadora do GEPEFA Grupo de Estudos e Pesquisas sobre Famílias.

OBS.: não deixe de assistir ao "Teste seu Português", no canal You Tube ou pelo Facebook - www.facebook.com/testeseuportuguesonline Agora também na TV UNIARA, assista pelo canal aberto 55 ou tvuniaraararaquarayoutube

Respostas:

Resp 1.: d Eu vou entrouxar minha roupa e sumir no mundo.

Entrouxar (= empacotar, colocar em trouxa).

Resp 2.: c Que pena! Aquele pobre menino é lombriguento.

Lombriguento (= que tem lombrigas parasita dos intestinos).

Resp 3.: a b As duas frases estão corretas.

a Aquele automóvel custou uma micharia.

b Aquele automóvel custou uma mixaria.

Micharia / mixaria (= pequena quantidade de dinheiro, bagatela). Cf. Borba 2004 Dic. UNESP do Port. Contemp p. 927).

Resp 4.: c Era um pascácio. Não tinha boca para nada.

Pascácio (= indivíduo muito simplório, tolo, bobo).

Resp 5.: b Você é trouxa? Acha que vou fazer o que me pede?

Trouxa (= tolo, bobo, palerma).

Resp 6.: d - Um tsunami assolou várias cidades do Japão.

Tsunami (= onda gigantesca produzida por um sismo).

Resp 7.: a b A moqueca capixaba leva urucum / urucu.

Ambas as formas são corretas.

Urucum / urucu (= fruto em forma de cápsula vermelha ou amarela, coberta de pontas longas, secas e com polpa que envolve numerosas sementes).

OBS.: urucu (tupi).

Resp 8.: b Eu comi dois deliciosos cuscuzes.

Cuscuz (= bolo salgado feito de farinha, geralmente de milho ou arroz, sardinha, camarão ou galinha).

Plural: cuscuzes. (Aurélio Séc. 21 à p. 598).

Resp 9.: b - A simpática senhora entra no açougue e pede um quilo de coxa-de-frango. Volp 2009 p.225.

Resp 10.: a b c Aquele cidadão acaba de sofrer um enfarte / enfarto / infarto.

A ortografia vigente aceita as três formas: enfarte / enfarto / infarto. (Borba 2004 Dic. UNESP do Port. Cont.).

OBS.: Colunista semanal dos jornais Diário do Grande ABC (SP)~e Jornal de Araraquara (SP), Jornal Independente Dois Córregos (SP), Tribuna do Norte Natal (RN), Jornal de Nova Odessa (SP), Diário da Franca Franca (SP) e Diário de Sorocaba Sorocaba (SP) Jornal de Itatiba Itatiba (SP) O Liberal Regional Araçatuba (SP) Diário da Serra Tangara da Serra (MT).