JORNAL DE ARARAQUARA
  • Fundado em 1991
  • Diretor: Geraldo Polezze
  • Vice-diretora: Marilene Volpatti
  • E-mail: redacao@jornaldeararaquara.com.br
ENTRE EM CONTATO

A pele no FRIO: cuidado

Baseado no artigo de Gabriel Alves, Folha de S.Paulo (edição 7/6).

Inverno com sinusite, rinite, bronquite, resfriado e dor de garganta. Ainda sensação de pele e lábios rachando. Tatiane Curi, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD), explica que neste tempo mais frio, a camada da pele conhecida como manto hidrolipídico (formada por água e lipídios) fica mais fragilizada. Essa proteção depende da atividade das glândulas sebáceas e de suor, funcionam menos no inverno, diz Denise Steiner, titular da Universidade de Mogi das Cruzes.

Água quente, bucha e sabonete estão na raiz do problema, afirmam as médicas. Como abandonar banho está fora de cogitação, existem atenuantes.

1. Banho rápido;

2. Água morna (ou fria);

3. Não usar bucha;

4. Preferir sabonetes neutros, líquidos e com hidratantes;

5. Lavar vigorosamente só virilha, axilas e pés;

6. Nas outras áreas, evitar contato direto com sabonete;

7. Usar hidratante (há opções que podem ser usadas no banho);

8. Enxugar bem as dobras para evitar fungos oportunistas.

Algumas pessoas (idosos), precisam de mais cuidados. Se a pele estiver rachada e descamando, pede produtos que contêm emolientes (como ureia e lactato de amônia) e hidratantes que evitam a perda de água (como vaselina e glicerina). A caspa também costuma dar as caras. Para combater a versão oleosa, lavar a cabeça frequentemente com água morna ou fria. Com caspa seca, evitar xampus abrasivos que ressecam o couro cabeludo.

É fundamental secar bem o cabelo antes de dormir para evitar fungos.