JORNAL DE ARARAQUARA
  • Fundado em 1991
  • Diretor: Geraldo Polezze
  • Vice-diretora: Marilene Volpatti
  • E-mail: redacao@jornaldeararaquara.com.br
ENTRE EM CONTATO

Roberto Massafera e Márcia Lula Lia votam aumento de salário que todos (de bom senso) com certeza REPROVAM

(Texto: Douglas Braz. Foto: Raphael Montanaro/Alesp). O deputado estadual Roberto Massafera votou, nesta semana, favoravelmente a Proposta de Emenda Constitucional que aumenta o teto salarial do funcionalismo público do Estado de São Paulo. O limite da remuneração que era o salário do governador (R$ 22,3 mil) passa a ser o salário dos desembargadores do Tribunal de Justiça (R$ 30,4 mil).

PEC não precisa de sanção do governador, entra em vigor com publicação no Diário Oficial.

Massafera argumenta que a medida já é adotada em todo Brasil. "Só faltava ser aprovada em São Paulo".

"O aumento do teto vai tornar o serviço público mais atraente para todos os profissionais: médicos, delegados, agentes fiscais, cientistas e professores da USP, Unesp e Unicamp. Há 10 anos o salário do governador não é corrigido. Isso prejudica toda a classe de servidores que o Estado vinha perdendo para a iniciativa privada e até para outros Estados", avalia o parlamentar.

MAIORIA FICOU FRUSTRADA

Dinheiro do Povo é manuseado sem receio. Se o bolso fosse o dos deputados, pode escrever: não teria aumento porque o mar não está pra peixe. Numa crise terrível, não é hora de se fazer média com servidores públicos. As empresas fazem ginástica para continuar em pé; as donas de casa operam o milagre da multiplicação para garantir à família a comida sobre mesa, todo santo dia.

Numa terra onde existem 14 milhões de desempregados, os 67 deputados que ganham uma bolada, até para pagamento de um monte de assessores, não tinham o direito de gastar a grana desse jeito. O editor do J.A. acha lamentável a postura de nossos deputados. E você leitor, acha o quê?

NA VOTAÇÃO

Exatamente 67, dos 94 deputados votaram a favor e 4 contrários. Diz a nota: "O impacto financeiro dessa medida será diluído em 4 anos. O novo teto passa a vigorar a partir de abril de 2019 correspondendo a 71% do salário do desembargador; 80% nos doze meses seguintes; 90% no ano seguinte e finalmente 100% do novo teto salarial a partir de 2020. Até lá, custo do aumento do teto é estimado em R$ 909 milhões".

Onerar o Caixa Público, na atualidade, é trabalhar contra a maioria da população brasileira. Não chega o volume enorme de impostos? Esse aumento chega a ser ofensivo. Os nobres deputados se esqueceram de que nova eleição está chegando e o povo está saturado de atos abaixo da crítica. Deveriam ter um cuidado bem maior. As urnas vão refletir esses atos impensáveis e extremamente perdulários. (editor)