JORNAL DE ARARAQUARA
  • Fundado em 1991
  • Diretor: Geraldo Polezze
  • Vice-diretora: Marilene Volpatti
  • E-mail: redacao@jornaldeararaquara.com.br
ENTRE EM CONTATO

Amar a Paz

José Renato Nalini, secretário da Educação do Estado

Não é crível que a resposta à violência seja a incitação a maior violência. Mas é o que acontece quando o setor armamentista consegue convencer os impulsivos, os raivosos, os que "não levam desaforo para casa", a investir ainda mais na fabricação desses instrumentos de morte.

Arma não deveria sequer ser fabricada. Algo que existe para tirar a vida, não deveria existir. Quem é que não enxerga a realidade: os homicídios que chocam a população e "balas perdidas" não existiriam sem a arma.

O Brasil já se posicionou no tema. Votou o Estatuto do Desarmamento, ora sob ameaça. Como tudo o mais que é bom no País.

INVESTIR NO ESTATUTO

Visando ao Desarmamento, pretende-se liberar uso de arma de fogo. Quantas vidas ceifadas ainda serão necessárias até que o discernimento prepondere e se faça uma grande apreensão de armas de fogo em nosso território?

Quem possui arma, dia mais, dia menos, vai usá-la. No mundo da ira, da violência, do desentendimento, do estranhamento e do egoísmo, quem carrega um revólver, pistola ou fuzil, é um potencial ator da morte.

Surreal a proposta ianque: armemo-nos para a paz. O mundo não anda bem e a consciência dos governantes menos ainda.